Seguidores

24 de ago de 2011


PEÇA TEATRAL- O BANCO LUGAR DAS DECISÕES

***Uma produção mostrando a forma que as pessoas tem tratado Jesus. Conta a história de Sofia,que entrega seu banco ( a direção de sua vida) a Jesus.

Uma produção incrível, que retrata o aspecto de muitos indecisos, dentro das próprias igrejas.
 Personagens: Sofia
                     Jesus
                     Ricardo
                     Madalena


( Jesus e a mulher entram e ela carrega um banquinho)

Sofia- Jesus eu decidi te dar... isto.
Jesus- Sério?
Sofia- sim
Jesus- Aqui é onde você toma todas suas decisões certo?
Sofia- Eu sei, eu sempre tomo decisões. Mas as suas decisões são perfeitas, então sente-se aqui e comece a tomar as decisões.
(coloca Jesus no banquinho)
Jesus- Uau, estou honrado.. isso é ótimo.
(entra a Madalena a amiga)
-Sofia, pegue o seu cartão de credito, é hora de ir ao shopping.
Sofia- Sério? Pensei que o seu marido precisasse pagar as contas...
Madalena- Oh, ele vai pagar, mas ele não precisa ficar sabendo. Então quer vir comigo?
Jesus - Não!!
Madalena- Não?? Por que?
Sofia- (com dúvidas, coçando a cabeça, neste meio tempo já está sentada junto com Jesus no banquinho, quase tirando Jesus)- Na verdade, eu não sei. Deixe-me checar a minha agenda, depois eu te ligo.
Madalena- Ok, me ligue.
Jesus- Sofia o que está havendo? (Ela nem percebe que está sentada com Jesus)
Sofia- O que quer dizer?
Jesus- Só uma pessoa pode ficar aqui. Olha nós temos que tomar a mesma decisão. (saem do banquinho) aqui é que você decidi certo?
Sofia- Certo
Jesus- E você toma todas as decisões?
Sofia- Não Jesus é o Senhor que tem que tomar por mim.
Jesus- Então, qual é o problema?
Sofia- Não há um problema Jesus, eu não sei o que estava pensando, é sério venha, sente-se
Jesus-( já sentado novamente) Você tem certeza?
Sofia- Sim tenho certeza.
Jesus- Ok, vamos começar de novo, certo?
Sofia- certo.
Ricardo- ( entrando)-Sofia, minha querida eu estou aqui para te convidar pra irmos juntos numa raive para dançar, se divertir e não aceito não como resposta.
Jesus- Minha decisão é não
Sofia- ( vai sentando no banquinho empurrando Jesus) .Eu vou naquele seu maravilhoso carro? E dançar eu adoooorooo, eu até comprei uma roupa nova.
Ricardo- Legal, roupa nova combina com tudo eu venho te buscar com o meu carro maravilhosso, ok?
Sofia- Nossa, eu sempre quis sair com o Ricardo e ainda mais naquele carro maravilhoso, as minhas amigas vão ficar com uma inveja.
Jesus- Sofia olha, aconteceu novamente
Sofia- O que Jesus?
Jesus- Você sentou novamente junto comigo, não sou eu que tenho que tomar as decisões? Este tipo de festa não é lugar pra você, só acontecem coisas que me desagrada, então?
Sofia- É sim Jesus, me perdoa, o Senhor sabe o que é melhor pra mim.
Jesus- Então vamos começar de novo ( senta no banquinho), Sofia eu sei que você está tendo problemas com o seu temperamento recentemente.
Sofia- Ok, Jesus eu sei o que o Senhor vai dizer (subindo no banquinho atrás de Jesus), mas você não entende o que acontece, eu sou assim, não consigo mudar, eu gosto de fazer essas coisas, não consigo me libertar delas (cai em pé).
Jesus- Mas estou dizendo, uma atitude é uma decisão
Sofia- (continua subindo no banquinho por trás de Jesus) sim claro,mais você não entende, tem muita coisa que eu gosto de fazer
Jesus- Mas elas estão prejudicando o seu relacionamento comigo. Eu quero te abençoar.
Sofia- (Segura a cabeça de Jesus por trás, Jesus tenta sair) .Mas Jesus eu não consigo me libertar (Jesus consegue se livrar dela e sai do banquinho e ela pega)
Jesus- Não está funcionando Sofia, infelizmente.
Sofia- (assustada) Que??
Jesus- Nós dois não podemos sentar juntos. Sou eu ou você
Sofia- Ok, não imaginava que seria tão difícil. Aqui está pegue.
Jesus- Eu não vou pegar, você tem que me dar, lembra o que eu disse atitude leva uma decisão? Você tem que querer.Eu não posso te obrigar.
Sofia- Ok, aqui
Jesus- Sofia, faça uma escolha
Sofia- não posso
Jesus- Você acabou de fazer
(NOTA)- Estamos ensaiando, em breve iremos apresentá-la, quando isto acontecer, irei filmar e tirar fotos, aguardem!




19 de ago de 2011

20:19

É com imensa alegria que estamos iniciando este ministério Atos de Adoração com coreografias e teatro, tudo para honra e glória do nosso Deus. É um meio de ganharmos almas para Cristo, é um método eficiente para comunicar a salvação através da arte cênica . União de dois excelentes meios que é o teatro e a coreografia num só objetivo.
Fazer Teatro Cristão, é saber passar que por meio desta linguagem, Deus pode sim, falar, libertar, curar e salvar vidas, sim alcançar Vidas. É ter Deus como o nosso Diretor e o Espírito Santo como a nossa Inspiração.
Teatro faz parte do Evangelismo, é saber que temos esta responsabilidade com Deus, com o Próximo e com Nós mesmos. E coreografia é um conjunto de gestos corporais que visam expressar o sentido da música (e não só), de forma que mesmo sem cantar ou falar, as pessoas consigam compreender o que se está exprimindo. Estamos apenas começando e com ajuda de muita oração conseguiremos vencer todas as batalhas.
PEÇA: MÃOS VAZIAS
*QUANDO APRESENTAMOS FIZEMOS ALGUMAS ADAPTAÇÕES.VEJA O VÍDEO

Narrador -- A Bíblia nos fala em Mateus 20.25,30,35, sobre a vinda de Jesus Cristo. Ao lermos este texto, ficamos realmente desejosos de saber quando Jesus voltará. Mas eu gostaria de lhe fazer um pergunta: Como está a sua vida? O que você tem feito para Jesus? Gostaria que refletisse bem a respeito disto, pois a volta de Jesus será num dia e numa hora que ninguém sabe. Agora, imagine se de repente tudo escurecesse... e você ouvisse uma voz dizendo:
Luzes se apagam de repente.
Voz -- Jesus está voltando! Jesus está voltando!
Luzes se acendem e Jesus entra.
Narrador -- O que você teria a apresentar? O que você faria nesta situação em que se encontra, se Ele surgisse chamando o seu nome e dizendo:
Jesus -- Sara, apresente-se a Mim, mostre-Me tuas mãos.
Sara entra.
Sara -- Mestre amado, aqui estou para minhas mãos Te mostrar. Trago marcas da seara que me deste a ceifar. Eis minhas mãos.
Jesus -- Filha, Eu sei que teu trabalho foi árduo, sei que lutas surgiram. Mas entra em Meu Reino, foste fiel, teu lugar já está preparado.
Sara vai para um lugar atrás de Jesus aguardando a sua entrada no Reino.
Jesus -- Felipe, mostre-Me tuas mãos.
Felipe entra.
Felipe -- Oh, Senhor! Que bom ver o Teu rosto, contemplar a Tua face. Por tudo que sofri esta é a maior recompensa. Fui abandonado e traído por Te seguir, perdi minha mãe, amigos e familiares. Trago em minhas mãos as marcas do que sofri.
Jesus -- Filho meu, teu sofrimento não foi em vão, muitos através de você conheceram a salvação. Aqui não haverá mais dor, Eu limparei de teus olhos toda lágrima. Filho meu, tão amado... Eu também marquei as minhas mãos em nome do amor. Entra em Meu Reino, receba teu galardão.
Felipe vai para onde está Sara.
Jesus -- Clara, mostre-Me tuas mãos.
Clara entra.
Clara -- Jesus, tenho vergonha de me apresentar. No entanto, sei que vais me aceitar. Sabe, eu poderia ter feito mais, muito mais, mas acabei me acomodando e fiquei limitada ao banco da igreja, quando tanta coisa havia para se fazer. Eis minhas mãos.
Jesus -- Filha minha, quantos foram iguais a você, por isso retardaram a Minha volta. Muitos não entendem por quê é que as estrelas brilham, porque nunca olharam para o céu. E você não pode saber o que é ter uma vida cheia do Espírito, porque nunca desejou crescer. Mas creste em Meu Nome, por isso, entra em Meu Reino.
Clara vai para onde estão Sara e Felipe.
Jesus -- Vitória, apresente-se a Mim, mostre-Me tuas mãos.
Vitória entra.
Vitória -- Senhor, Tu és Altíssimo e eu Te louvo. Como é bom poder me apresentar a Ti. Mestre, fui na terra uma luz, Teu Nome foi anunciado por mim. Mas... tropecei Senhor, senti-me fraca na fé, apanhada pelos problemas que surgiram diante de mim. Tu, ó Glorioso Senhor, foste Fiel e não me abandonaste, por isso, eis minhas mãos.
Jesus -- Filha, Eu jamais abandonei os meus. Às vezes, quando tudo está bem, sou deixado de lado, colocado em segundo plano, sou o depois. Mas nunca abandonei os meus filhos. Momentos de fraqueza, todos podem passar, mas abandonados por Mim, jamais! Eu que sofri tanto por vocês, iria bani-los de Mim quando mais precisam? Não. Eu posso entender que tenha se sentido fraca, mas foi na Minha Palavra, a Bíblia, que encontraste forças e, através da oração, pude falar ao teu coração. Entre em Meu Reino, tenho um lugar preparado para você.

Vitória vai para onde estão Sara, Felipe e Clara.

Jesus -- Ana, mostre-Me suas mãos.

Ana não entra, Jesus aguarda um momento e fala novamente.

Jesus -- Ana, onde você está? Quero ver tuas mãos.

Ana -- (Fala de onde está) Jesus, Jesus... eu não posso me apresentar.

Jesus -- Ana, mostre-Me tuas mãos. Por que te escondes?

Ana vem se aproximando de Jesus devagar, enquanto fala.

Ana -- Jesus... Jesus... eu não posso me apresentar, voltaste tão depressa e eu não pude me preparar.

Jesus -- (Com voz triste responde) Ana... (Jesus é interrompido por Ana).

Ana -- (Em desespero) Perdão Senhor! Perdão... mas eu passei todo o tempo duvidando que voltarias. Ouvi falar do Teu Nome, do Teu amor por nós, e um dia até levantei a mão, mas... mas estava muito preocupada comigo mesma, eu não pensei que voltarias realmente. Jesus, eu acreditei nas pessoas, fui traída e enganada, contraí dívidas, deixei-Te de lado... mas Jesus, eu preciso me salvar! Eu preciso... (Ana é interrompida por Jesus)
Jesus -- Ana, Ana... quantas vezes Eu te livrei da morte, quantas vezes Eu te mostrei o caminho certo e tu não quiseste seguir. Ana, quantas vezes enganava-te a ti mesma dizendo que eu não voltaria. Ana, Eu voltei! Voltei para buscar aqueles que são Meus. E você Ana... você não está entre eles, por isso afaste-se de Mim, você teve todo o tempo do mundo e não aproveitou. Afaste-se de Mim Ana! Afaste-se de Mim!
Ana -- (Desesperada, chorando, implora) Jesus! Eu não quero morrer! Eu não quero padecer na escuridão! Por favor Jesus... Jesus me salve! Eu não quero morrer! Minhas mãos... minhas mãos estão vazias... Jesus, Jesus me salve...
Começa a tocar um fundo musical de terror, enquanto Ana fala com o público, Sara, Felipe, Clara e Vitória ajoelham-se aos pés de Jesus. Jesus sai e Sara, Felipe, Clara e Vitória seguem a Ele, como es estivessem entrando no Reino. Ana tenta entrar mas sente que algo a impede.
Ana -- (em completo desespero) Onde estão meus pais? Meus amigos? Vocês não falaram que eu podia sempre contar com vocês? Onde estão agora? Eu estou sozinha... estou nas trevas...
No final, os demônios entram devagar e vão cercando Ana. Ana tenta fugir dos demônios mas não consegue porque eles a cercaram por todos os lados. Ana, gritando, rodeada por demônios perto dela, cai no chão. Os demônios tiram a camisa branca de Ana (que está por cima da camisa preta), suspendem ela bem alto, e levam Ana para fora, que sai gritando em desespero, carregada pelos demônios, como se estivessem indo para o inferno.

JÁ APRESENTAMOS "NÃO TOQUE"

Dois atores e uma cadeira, um cartaz "não toque".

Um Mímico curioso, que por acaso passava pelo local, percebe a cadeira e se aproxima...

O mímico desobedece...

Uma cadeira está no meio da praça com um cartaz pendurado nela dizendo: "NÃO TOQUE".
O Mímico curioso que por acaso passava pelo local percebe a cadeira e se aproxima. Rodando em torno da cadeira ele tenta entender o que há de errado com ela. Sem chegar a conclusão alguma, o curioso passa a frente da cadeira e olha para a esquerda e para a direita, observando se ninguém aparece.
Vendo que "a barra estava limpa", o curioso pega o cartaz (disfarçando e cheio de confiança) e o joga no chão , desprezando-o. Enquanto olhava para o cartaz no chão, o curioso sem perceber apoia-se na cadeira.
Após achar graça do cartaz caído no chão, o mímico percebe ao tentar ir embora, que sua mão ficou colada na cadeira (a mão e a cadeira permanecem imóveis embora o curioso esforce-se em descolá-la ). Neste instante, outro mímico, o amigo, passa pela frente da cadeira com o curioso colado. Imediatamente o curioso disfarça, acenando para o amigo que então continua seu passeio. Após o amigo se afastar o curioso começa a ficar impaciente . Ele coloca a outra mão no acento da cadeira para tentar descolar a primeira. Então percebe que sua segunda mão fica colada também . Faz força, levanta a cadeira, sacode, e imediatamente disfarça quando percebe que o amigo se aproxima novamente. O curioso sorri sem graça e finge estar fazendo exercícios.
O amigo acha estranho, mas depois olha para a platéia e elogia o curioso. Faz sinal de aprovação e continua seu passeio. Tão logo o amigo se distancia, o curioso recomeça a tentar se descolar. Ele está realmente nervoso agora. Joga a cadeira para um lado, joga para o outro, coloca o pé no acento para se apoiar, mas o pé escorrega e ele acaba sentando na cadeira, totalmente colado agora.
Enquanto o curioso se sacode, o amigo se aproxima, estranhando a situação. Desta vez o curioso não perceba a aproximação do amigo, e não disfarça. O amigo começa a perceber o que está acontecendo. Encontra o cartaz caído no são e entende a situação.
Mostra o cartaz "NÃO TOQUE" para a platéia fazendo cara de quem diz: "agora estou entendendo...".
O amigo então se propõe a ajudar o curioso. Ele explica que vai orar a Deus para que Ele o descole da cadeira. O curioso que continua com uma cara de revoltado com a situação, não faz muita fé na eficiência da oração do amigo que mesmo assim não desiste. Dobra os joelhos e ora com um rosto que demonstra sinceridade, simplicidade e fé. Enquanto isso o curioso que estava olhando a oração com cara de revoltado, descola-se completamente.
Surpreso, o curioso se levanta com o rosto alegre e festeja com seu amigo. O amigo então pega o cartaz e entrega para o curioso que aceita de boa vontade o mesmo. O curioso coloca então o cartaz de volta na cadeira.
O amigo concorda com o curioso, mas após o cartaz "NÃO TOQUE" que esta colocado na cadeira, ele apanha -o e vira o cartaz que agora diz: "PECADO".

JÁ APRESENTAMOS "CORAÇÃO FEDORENTO"

Mímica destinada às crianças. Conta a estória de um garotinho que vivia muito triste, pois seu coração era fedorento, e de uma menininha feliz, porque tem seu coração cheiroso. Pode ser usada ao ar livre. Sua trilha sonora pode ser do estilo “Charlie Chaplin no cinema mudo”.

INÍCIO
No meio da praça, um garotinho está muito triste. Em seu peito pode-se ver um coração negro.
Ao contrário do Garoto, chega uma menina muito feliz que começa a brincar perto. Ela vem chupando um enorme pirulito, sorridente.
A menina joga amarelinha, corre de um lado para outro enquanto o garoto a observa triste, choramingando e desanimado. Após algum tempo a menina percebe o garoto e se aproxima. Ela vê que ele está triste e tenta animá-lo oferecendo seu pirulito para ele. Mas isso não faz com que ele fique animado
Então a menina pega o pirulito de volta e convida-o para brincar. O garoto aceita feliz, desfaz a tristeza do rosto e sorri A menina deixa o pirulito no chão e brinca com o garoto de amarelinha. Primeiro joga a menina. Mas quando chega a vez do garoto, este desanima murcha “faz bico e volta a chorar”.
A menina não entende chega perto do garoto e pede para que ele "fique feliz. Vamos brincar!". O garoto sorri novamente e eles voltam a brincar. Menina para a esquerda, garoto para a direita. A menina parece apanhar uma bola enorme e joga para o garoto. O garoto vibra, consegue agarrar a bola e devolve o arremesso para a menina. Ela corre pega a bola e devolve, jogando-a. Novamente o garoto apanha a bola, mas desta vez ela para. Olha a bola em suas mãos. Coloca no chão. Desfaz o sorriso, "murcha" de novo e volta ao centro triste e choramingando.
A menina não entende. Corre para o garoto e pergunta gesticulando "O que houve? O que há com você?".
O garoto triste aponta para o seu coração. Faz sinal de que cheira mal. A menina acena "Cheira mal?". O garoto concorda.
Ela cheira o coração do garoto, faz cara de desagrado "É, realmente, cheira mal!". O garoto se mostra mais triste ainda.
A menina gesticula então dizendo que ia orar a Deus para que ele ficasse feliz. O garoto anima-se e observa a menina dobrar seus joelhos e "pedir a papai do céu" alegrar ser amiguinho. O garoto fica feliz, mas pouco depois dela se levantar ele novamente "murcha".
A menina diz então que ele é que precisa orar. E então os dois juntos dobram seus joelhos e oram. Agora o garoto se levanta feliz, inverte o seu coração de feltro colado em seu peito que passa a ser alvo como a neve.
Os dois se abraçam e saem correndo, ambos sorridentes para brincar!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...